Conheça Natal

Natal: História e Cultura

Solo muito branco, Reis Magos, comida farta e saborosa, presentes da natureza: Natal, capital do Rio Grande do Norte, que também faz aniversário nesta data, com apenas uma diferença: é festa o ano inteiro.

Conhecida como a cidade-do-sol, por ser verão o ano inteiro, possui uma afinada orquestra regida por dunas, lagoas, praias, provocantes comidas típica e história.

Ar Puro

Segundo a NASA, Natal é o segundo ar mais puro do planeta, só perdendo para a Antártica.

Esse banquete da natureza é preenchido por muitas praias primitivas e urbanas, em um litoral de mar calmo para o descanso e agitado para o esporte, areias fofas, piscinas naturais, dunas e coqueirais. A melhor maneira de conhecer esse refúgio situado na curva do mapa é alugando um bugre na porta dos hotéis.

Conhecida por Cidade do Sol, Natal é uma terra que desperta paixão pelo aconchego do seu povo e pelas paisagens paradisíacas. São praias, dunas, arrecifes e falésias. É onde se respira o ar mais puro das Américas e é aqui que se encontra o segundo maior parque florestal urbano do país.

Uma das principais maravilhas do litoral nordestino, Natal espera o turista com um dos mais belos litorais de todo o Brasil. Com praias de diferentes características ao longo da costa, a cidade oferece lazer para todos os tipos de visitantes.

A mais movimentada, aconchegante e deslumbrante das suas praias é a Praia de Ponta Negra. Limpeza hurbana e a beleza de sua arquitetura e canteiros ajardinados faz da cidade uma das mais belas cidades do Brasil. No verão, Natal simplesmente ferve com turistas do mundo todo.

A orla marítima central de Natal reúne quatro praias: Areia Preta, Praia dos Artistas, do Meio e do Forte, que podem ser apreciadas do alto da Ladeira do Sol.

Na praia do Forte está a Fortaleza dos Reis Magos, principal monumento histórico-cultural da cidade que parece preservar com suas formas a mansidão do mar, tornando a enseada ideal para o banho.

A mais concorrida, badalada e turística praia potiguar é Ponta Negra, e também o principal point da noite da cidade. Em Ponta Negra está o Morro do Careca, seu principal ícone. Mas não é só a contemplação do morro que atrai os visitantes. Ponta Negra é curtida nas caminhadas pela praia, na observação dos seus costumes e no contato com sua gente.

A Redinha completa o circuito das praias de Natal, onde se pode degustar no tradicional Mercado da Redinha uma irrepreensível tapioca com ginga.

Mas Natal não atrai apenas pelas belezas de suas praias, o Parque das Dunas, o segundo maior parque urbano do país, é um programa que vem sendo progressivamente adotado pelos turistas. Nele há duas trilhas, pista para caminhadas e várias alternativas de lazer para crianças e adultos.

A carne de sol, a paçoca de pilão, o queijo de manteiga, e os pratos feitos a base de frutos do mar compõem o paladar de uma culinária que traduz a criatividade do seu povo. Natal é verdadeiramente uma cidade mágica, que alia o calor humano à rica oferta dos atrativos para encantar uma legião de admiradores.

Histórico

Natal tem início com a construção do Forte dos Reis Magos.

Na margem direita do rio Potengi, existia a Aldeia Velha onde viviam os Potiguares. Atualmente Aldeia Velha é um dos bairros de Natal. O nome desse bairro é Igapó, ligado ao centro da cidade por uma moderna ponte.

Natal cresceu muito lentamente, vindo a se desenvolver a partir de 1922, sendo os seus primeiros bairros a Ribeira e a Cidade Alta.

Natal foi fundada em 25 de dezembro de 1599 por Manuel de Mascarenhas Homem, capitão-mor de Pernambuco, onde ali chegou, em 1597, com o objetivo de construir um forte e uma cidade, a fim de assegurar a posse de Portugal, afastando os franceses que comerciavam com os indignas (os índios potiguares).

Natal, durante a II Guerra Mundial, serviu de base aeronaval, com a missão de controlar as comunicações com o continente africano.

Em 1965, foi construída a Barreira do Inferno, a principal base do programa espacial do Brasil.